Otimismo x perssimismo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

 
Olá; Andre Avelino:

 otimista

O otimismo é atributo mais desejado que o pessimismo. As pessoas que veem as coisas pelo lado positivo, geralmente, são mais queridas e mais procuradas do que as pessoas que enxergam o mundo pelo lado negativo. Além disso, pessoas otimistas tem mais sucesso, são mais saudáveis e mais felizes.

As pessoas que veem sempre o lado bom, em geral, são mais dedicadas ao trabalho, ou seja, engajam-se mais facilmente nas “coisas”, relacionam-se mais com as pessoas e conseguem encontrar mais sentido e significado naquilo que fazem. Por esse motivo, também são pessoas mais comprometidas e, frequentemente, obtém mais sucesso naquilo que realizam.

O otimismo é uma qualidade essencial para se viver hoje em dia. Sem ele não há como sentir-se fortalecido para cumprir metas.

Você se considera um pessoa pessimista ou otimista?

Pesquisas atuais sobre otimismo e vitimização apontam uma boa notícia. Ele é um comportamento que pode ser aprendido!

E qual o primeiro passo para aprender a ser assim?

Este é o desafio, principalmente, para quem apresenta (ou não) um estilo pessimista.

Antes de tudo, é preciso conhecer-se um pouco mais. O ato de observar-se nos momentos da vida em que você passa por adversidades e como você reage em relação a elas e o impacto na sua vida poderão indicar se você é otimista ou pessimista. Eis o primeiro passo da mudança.

Convenhamos, isso não é uma tarefa fácil,  pois todo pessimista se diz  um realista, não é verdade? “Eu apenas estou sendo realista”. E, por outro lado, muitos que se dizem otimistas, na verdade, apenas manifestam um pensamento positivo, vez por outras, mas quando se deparam com algumas adversidades prevalece o modelo mental pessimista.

Ser pessimista ou otimista é uma questão de escolha. Mas, como assim?

Simples: depende de como a pessoa explica para si mesmo os eventos.

Todas as pessoas passam por momentos ruins e o que os diferencia uma das outras é a forma como elas explicam esses acontecimentos para elas mesmas.

Em seu livro “Aprenda a ser otimista”, Martin Seligman denominou este fenômeno de “Estilo Explicativo”, ou seja, é a forma que eu explico para mim mesmo os eventos bons ou ruins.


Martin Seligman
 demonstra nas pesquisas que pessoas que apresentam o “Estilo Pessimista” estão predispostas a depressão e nela se mantem por muito mais tempo. Identificou, também, que neste estilo apresentam-se maior número de pessoas com menos chances de sucesso na profissão, na educação, nos relacionamentos e na saúde. Por outro lado, as pessoas com “Estilo Otimista” encaram as adversidades como temporárias, apresentam mais atitudes  perseverantes diante dos obstáculos e, são mais saudáveis, tem mais amigos e também resolvem mais facil suas vidas!

Deixe uma comentário